Tem coisa melhor do que casa de avó?

Casa de avó. Tive duas avós bem diferentes na personalidade, mas igualmente talentosas na cozinha. A materna fazia um doce escandalosíssimo chamado Espera Marido – o nome vinha do fato dele parecer um rolo de massa, objeto que tradicionalmente era usado pelas mulheres antigas para esperar maridos atrasados (!?). Bem, mas voltando ao que interessa, era um bolinho frito que ganhava uma abundante calda caramelizada. Nada que pais conscientes ofereceriam para os filhos mas… na casa de avó pode tudo! Então eu comia tudo.

Já a avó paterna, servia os tradicionais bolinhos de chuva… às 2 da manhã! Sim, férias na casa dela era uma delícia porque nós duas (eu com cinco anos, ela acho que uns sessenta), ficávamos acordadas a noite toda assistindo filmes e nos empanturrando de açúcar…

É por essas lembranças maravilhosas que acredito que devemos deixar os avós exercerem (um pouco) o papel que lhes cabe: o de mimadores e deseducadores dos netos. Lógico que com algumas exceções, como no caso da criança que passa o dia todo com eles para os pais trabalharem. Aí a história é outra. Mas, se os encontros acontecem uma vez por semana ou menos, porque não dar o direito da criança de aproveitar esse lado da vida?

Minha mãe dá café para minhas filhas (escondido de mim) desde os 6 meses. E também dá chocolates em todas as visitas. Assim como espera as meninas na porta com um bolo quente no forno. E muitas outras tranqueiras na geladeira. Mas, quando vejo os olhinhos dela brilhando ao ver as netas – e as meninas correndo para abraçá-la, acho que nada disse vai fazer tão mal assim. Até porque criança aprende rapidinho que lá pode, aqui em casa não.

Deixe seu filho curtir os avós sem medo de ser feliz!

beijos

Mônica

 

7 Comments

  1. Amei o texto!!
    Minhas meninas estão distantes das avós, cada uma num estado diferente do nosso e quando vamos para lá o lema é desencanar… ninguém morre por uma semana de delícias e loucuras de Vó. Minha mais velha já chega na minha mãe combinando o dia em que irão comer pizza de chocolate e na casa da outra avó come biscoitos caseiros o tempo todo… Pode dengar, encher de guloseimas, caprichos… elas sabem que as regras lá são mais maleáveis e graças a Deus existem as avós para dar uma trégua… kkk.
    Bjs Mônica

    1. É isso mesmo Miriam. As crianças precisam de um espaço para tréguas. E quando essa trégua envolve uma viagem, que delicia que fica, hein?
      beijos
      Mônica

  2. Ótimo texto. Meu muleque tem o prazer de conviver com a Tataravó diariamente, pois moramos próximo. É ou não é demais?

    Abs!

    1. Meu, com a tataravó? Isso deve ser incrível!!! Imagina o quanto de coisas ela não tem para contar desse mundão, hein? Vocês devem se divertir!
      beijos
      Mônica

  3. Como assim, pode tudo? Pode comer doce de leite antes do almoço? Pode jantar salgadinho com bala de goma? Pode comer suspiro com coca-cola? Vivo numa briga constante com meus pais, pq eles só dão tranqueiras pro meu filhote. Não restrinjo nada, mas acho q tem q comer antes. É assim, a gente dá a mão, e os avós dão o braço – cheio de caramelo, chantilly e chocolate.
    Jokas da Mi http://www.diiirce.com.br

    1. MIlene, como disse lá no texto, quando o convívio com os avós acontece às vezes, tipo no máximo uma vez por semana, acho que tudo bem ser essa loucura toda. Porque a criança já vive cheia de regras em casa e na escola, e a casa dos avós é um bom lugar para se libertar. Mas se o convívio é quase diário, a coisa muda totalmente de figura, né? Aí os avós precisam respeitar as regras dos pais. No meu caso, é assim porque minha mãe vê as meninas uma vez por semana. E ela, felizmente, também é adepta da sua tática, de primeiro come comida salgada, depois doces…
      beijos
      Mônica

Comments are closed.