Sem medo das Bolhinhas

Sabe, já fui uma mãe meio assustadora para os meus filhos. Dessas que soltam berros com tropeços bestas das crianças porque temia que eles se machucassem. Quando Samuel era pequeno, morria de medo que ele queimasse os dedos no forno (quente). A tática para evitar que o menino se aproximasse do fogão era deixar a luz acesa do forno e avisar o moleque (do jeito mais assustador e temido possível): “Quando essa luz estiver acesa jamais coloque a mão aqui!”. Imagine se o menino entrava na cozinha. De jeito nenhum. Achava que um monstro morava dentro do forno e iria queimar o dedinho dele assim que pisasse no chão da cozinha.

 

Alguns anos separam aquela mãe insegura até o último fio de cabelo da minha atual pessoa, mais segura em relação a crianças e machucados. Minha paixão por uma alimentação mais equilibrada e saudável me levou para cozinha e me fez perceber que era vital ser acompanhada pelos meus filhos. Conhecer o território chamado cozinha, com seus objetos cortantes, perfurantes, queimantes e apaixonantes também foi importante para eu ficar mais centrada. Não há mais nenhum monstro dentro do forno à espreita esperando para queimar meus filhos. Samuel pilota frigideira sozinho. Prepara o ovo triturado (o ovo mexido) sem a minha companhia. Fico mais à distância e não mais em cima do moleque. Com Miguel já é diferente. Ele fica perto do fogão, mas sob a minha total supervisão. Mexe o brigadeiro, o ovo triturado, abre a porta do forno quente, sente calor do fogo, mas comigo bem pertinho. Afinal, ele tem apenas 6 anos e uma coordenação motora não tão refinada.

 

Toda essa minha frequência na cozinha com eles reduziu meu medo de que eles se queimem. Sei que esse negócio de encostar-se a algo quente faz parte do cotidiano do forno e fogão. Samuel já fez bolha no braço. Miguel, no dedo. Houve susto e choro dos meninos, claro, afinal dói, arde, mas nada como um colo de mãe, água, sabão e BAND-AID® no machucado para melhorar o astral dos garotos e continuar a brincadeira.

 

Então, supere seus medos de mãe também e deixe a garotada cozinhar – sob a sua supervisão. Afinal, não existe infância sem machucadinhos.

 

E para incentivar essa convivência saudável entre brincadeira e machucadinhos a BAND-AID® reuniu um grupo de mães blogueiras para se juntar a ela na campanha -muito legal e que a gente apóia e apadrinha – “Com BAND-AID®, o machucadinho não vira um machucadão”. E tem prêmios para as leitoras do COMER Para CRESCER.

 

Funciona assim:

 

1) Entre nesse endereço eletrônico AQUI

2) Baixe o paper toy da Bolhinha

3) Monte a Bolinha com os filhos e fotografe tudo

4) Envie as fotos (com seus nomes e cidade onde moram) para o email patriciaemonica@gmail.com até o dia 26 de setembro.

5) As quatro melhores fotos vão ganhar prêmios da BAND-AID®

6) Por último, vá até o site http://www.discoverykidsbrasil.com/machucadinhos. Lá tem animações divertidas com a turma dos Machucadinhos, jogos e outras atividades para as crianças, além de informações importantes sobre como cuidar de bolhinhas, cortes, arranhões, marcas tão presentes na infância quanto importantes.

 

A gente tá muito curiosa para ver como é a Bolhinha na sua casa! Pirem na criatividade!

Olha só como foi a bagunça na casa da Patrícia

Família linda, hein? Babem...

 

beijos

Patrícia e Mônica

 

1 Comment

Comments are closed.