Os segredos do McDonald´s

Os segredos do Mcdonald´s. Semana passada fui conhecer a Cidade dos Alimentos, um complexo industrial do McDonald´s, onde ficam, por exemplo, a fábrica de pães e de hambúrguers. Confesso que para mim, guardada as devidas proporções, foi quase como visitar a Fantástica Fábrica de Chocolate!!! Ou como desvendar o território inimigo, já que tudo o que ouvimos de pediatras, nutrólogos e outros especialistas é: fique longe de fast foods…

Bem, descobri o seguinte:

* sim, os ingredientes usados para fazer os sanduíches, sobremesas e saladas são ok, alguns até muito saudáveis. Toda a matéria-prima vem de fornecedores que só são aceitos (e mantidos) se obedecem a um rígido padrão de qualidade. E a empresa mantém uma invejável logística para fazer entregas no Brasil todo, mantendo a qualidade do produto – ou ele é descartado.

* sim, todo o processo de produção é de um cuidado e higiene exemplar. São poucos os funcionários que entram em contato com a matéria-prima pois uma grande parte do preparo é feito por máquinas. Além  do cuidado enquanto o produto é feito, ainda há inspeções humanas e mecânicas depois de pronto, para nada ficar fora do padrão.

* sim, eles se preocupam com alimentação balanceada. Um sanduíche pode oferecer carboidrato (pão), proteína (carne), cálcio (queijo) e verduras (alface e tomate).

* não, o hambúrguer não é de carne de minhoca ou qualquer outra coisa esquisita. Eles são feitos com carne bovina triturada e apenas isso.

Se é tudo tão correto e saudável, porque não posso comer McDonald´s todos os dias? Por que ele é tratado como o grande inimigo? Foi com essa pergunta que saí de lá.

Para responder, conversei com várias pessoas e decidi rever o documentário Super Size Me – A dieta do palhaço, do cineasta Morgan Spurlock, e que parece ser responsável por algumas mudanças da marca, como a divulgação mais clara dos valores nutricionais dos seus produtos.

Concluí o seguinte:

* Os ingredientes são sim ok, mas como qualquer outro produto industrial, os do McDonald´s possuem aditivos, gorduras, açúcares e sódio em excesso. Parece que todos terão um grande desafio pela frente para diminuir essas quantidades e ficar bem com a Anvisa.

* Um Quarteirão com queijo, por exemplo, tem 558 kcal. É um pouco mais do que se você comesse arroz, feijão, salada e um bife, em quantidade moderada. O problema é que ninguém entra no McDonald´s só para comer um sanduíche. Ainda tem as batatinhas (as melhores do mercado, tenho de admitir), o refrigerante, a sobremesa…

* Ainda falando sobre o Quarteirão com queijo, quando você observa os valores nutricionais descobre que ele, sozinho, cobre cerca de 51% das suas necessidades diárias de sódio! Bacana, se você comesse só dois desses por dia…

* Não é para ir ao McDonald´s todos os dias. E nem é essa a ideia deles (foi isso que eu ouvi na visita). E parece que nem é isso que os clientes estão fazendo. Segundo uma pesquisa interna, a média mensal de frequência é de 2,3 vezes por mês. Este dado é referente a um consumidor considerado heavy user, ou seja, de frequência assídua à marca.  Não é incrível como a impressão que temos é outra?

* Entenda, o McDonald´s (e qualquer outro fast food, afinal, usamos o nome deles por serem os líderes de mercado) é uma empresa com fins lucrativos. Eles contam com 584 restaurantes e 62 unidades de McCafé, distribuídos em 143 cidades, localizadas em 22 estados e no Distrito Federal. Atendem 1,6 milhão de clientes por dia aqui no Brasil. E não vão colocar uma faixa na porta dizendo “venha aqui de vez em quando!”. Decidir quantas vezes frequenta o lugar é uma responsabilidade do cliente (?!). Assim como escolher o que vai comer lá dentro. Como bem lembrou uma colega no almoço, ninguém pede cenouritas no lugar das batatas fritas…

Tá, a responsabilidade então é do consumidor (?!) – discussão antiga, que começou com a indústria do tabaco e alcançou os fast foods. Mas como é que fica o apelo da marca, a publicidade que engolimos todos os dias e toda aquela comida viciante? Não sou grande fã, mas ainda nessa semana, fui ao McDonald´s acompanhar meu marido que precisava de uma refeição rápida antes do próximo compromisso. Eu tinha acabado de almoçar, mas quando senti o cheiro do sanduíche colocado na bandeja quase pedi um para mim. O apelo é muito forte! O marketing é muito bom!

Não sei se existem culpados. Penso que eles estão fazendo a lição de casa corretamente, criando boas propagandas, investindo em qualidade (até onde é possível quando se trata de comida industrial), oferecendo algo que para muitos é gostoso.

Nós deveríamos fazer a nossa lição também, lembrando que: propagandas são feitas para nos seduzir e só mostram o lado bom de algo; não existe mágica e os produtos industriais atualmente ainda precisam de substâncias químicas para existirem; um bom sanduíche caseiro, sem tantos conservantes, pode ser até mais gostoso. Simples assim!

beijos

Mônica

22 Comments

  1. o donald macdonalds foi e sempre sera a melhor coisa do mundo hoje eu ganhei uma linda helloy kit eu amava o boneco ronald macdonalds queria que ele voltasse

  2. ô , Mônica…e vc que me disse que não tinha visitado a fábricado MD… e não é que visitou…
    Eu sabia que tinha visita e lanchinho na defesa do MD…
    Quanta credibilidade e isenção para defender a maçã com conservantes…. 😉

  3. Bom dia, adorei a matéria…
    Queria saber como faço para visitar, poderia me encaminhar por e-mail o link para entrar em contato com o pessoal do Marketing??

    Beijos

    1. Oi, Jack.
      Você precisa entrar em contato com o pessoal do Mac no site do MacDonald´s.
      bjs

  4. Esqueceu de falar na quantidade de gorduras (inclusive as trans), na quantidade de conservantes, que fazem muito mal ao organismo à longo prazo. Pesquisa direito ai.

  5. Mônica, tudo bem?
    Preciso fazer um trabalho na faculdade sobre o McDonald’s. Adoraria se você pudesse ajudar, preciso de material, mas é difícil conseguir, tem no site, mas precisava de algo relacionada mais na minha área que é de Recursos Humanos, Comunicação Empresarial. Por favor, pode enviar alguma informação no meu e-mail? Obrigada! Abraços.

  6. Muito boa a materia!
    Trabalho no McDonald’s a Dois anos e meio e ao contrario que todos dizem! Nao enjouo de Tanto lanche! Nao engordo! Quando entrei pesava 56k, hoje 51k… tambem conheci a Cidade dos Alimentos! La eu realmente vi que eh muito mais do que uma rede de fast food…ha muito mais coisa envolvida! Eh gigantesca a preocupaçao que temos em servir bem… e fazer de tudo para chegar um produto final ao cliente de forma rapida e com qualidade!
    E eh verdade, ninguem pede cenouritas ookok
    desdew qdo trabalho la, vendi 3! Fazemos mo aue qdo um cliente pede!
    kkk

  7. Você nao ira encontrar um MC em qualquer cidade do Brasil, principalmente no interior. Estao nas grandes cidades pelo numero de habitantes e pelo numero de pessoas nao habitantes, mas que passam pela cidade diariamente. Por isso o fato do MC nao sobreviver em cidade pequena, sem giro. Por que as pessoas nao frequentam todos os dias. O Mc é uma mega empresa, com mega publicidade e sanduiches gostosos. Seus valores nutricionais vem na caixinha ou se voce pedir eles te fornecem quando vem “só no papelzinho”. Já digo há muito tempo que tudo que é grande, faz sucesso e ganha dinheiro causa inveja e as pessoas comecam a falar mal. É até natural. Assim como a padaria, o supermercado, o posto de combustiveis e a farmacia estao ali nao só pra te servir, mas pra ganahr dinheiro, o Mc tb. Vai quem quer…evita quem puder! rsrs

  8. Oi! Boa tarde!
    Sou estudante de nutrição e nossa turma gostaria de visitar a fabrica tb, vc poderia me passar o endereço?
    Desde já agradeço.

    1. Oi Gislainy, para visitar a fábrica do McDonald´s você precisa entrar em contato com eles. Sugiro que entre em contato com o pessoal do Marketing.
      boa sorte,
      Mônica

  9. (Para quem gosta de batatas fritas, as do Mc Donald’s são “gourmet”!) Fora esse elogio, porém, há inúmeras armadilhas no empreendimento. Por exemplo, os sanduíches que vêm embrulhados em papel (em vez de caixinhas), não apresentam tabela de valores nutricionais. Mesmo caso, obviamente, o dos sorvetes, batatas fritas, etc. Para que a quantidade de sódio e gordura saturada e colesterol não “estoure”, o hambúrguer vem sem gosto (a gordura da carne dá sabor ao produto quando frita). Além disso, tudo é conduzido para que o cliente consuma o combo. Então “combine” todos os valores nutricionais de uma Mc-patuscada. Para compensar, tem até maçã natural! Claro que, como tudo lá, é baratinha: R$ 1,50 – umas seis vezes o preço da do supermercado! E, se for calórica, você que se entenda com a Natureza… E tudo é tão “padrão” que perde a graça. Ou você vai preferir o Bob’s, que não tem nada de Mcmegapadrão?

  10. Adorei o artigo Mônica. Sempre quis saber a real por trás da produção do Mc Donald’s.
    Sou publicitária por formação, apesar de não trabalhar mais nesta área. Sim, o papel da publicidade é seduzir e despertar vontades nos consumidores. Sim, a publicidade só mostra o lado positivo – claro, quem faz publicidade negativa do próprio produto? E o Mc Donald’s é um mega case de sucesso – vide seus anos de história e há quanto tempo é líder de mercado.
    Até gosto de um Mc de vez em quando, tipo 1 ou 2 vezes no mês, e olha lá. Sou muito mais pela alimentação saudável, por gosto mesmo. Acho que o segredo está aí mesmo, na moderação e no exemplo que proporcionamos às nossas crianças. Pais que comem Mc toda semana geram crianças com o mesmo hábito. Cabe a nós pais orientar e responder pela maturidade que eles ainda não têm para decidir o que comer.
    um beijo!

    1. Obrigada Sarah! É o que sempre digo: o mais difícil é a gente, adulto, se reeducar. Eu, por exemplo, sempre gostei de comer vendo televisão. E agora, com filhos, é um terror porque não posso fazer isso e ainda tenho de argumentar com as meninas que elas não podem. É difícil lembrar as razões, lembrar que crianças são mais vulneráveis do que nós, que elas ainda não sabem escolher. Mas tudo começa com a gente mesmo…
      beijos
      Mônica

  11. Mô, excelente post. Acho o seguinte: sim, se eles são uma empresa com fins lucrativos, nada mais natural que fazerem propaganda para vender a marca. No entanto, cabe ao Estado proteger o consumidor (olha o nosso código de defesa) e a saúde da população. O consumidor é reconhecidamente a parte fraca das relações comerciais, daí a necessidade de defendê-lo do marketing abusivo. No caso de produtos nocivos à saúde, é necessário que a população esteja ciente disso. Não concordo com esse papo de que “cada um decide”, “liberdade de escolha” e tal. Como você disse, a publicidade nos faz ter vontades que não teríamos sem ela. Isso é liberdade? Liberdade é você tomar um refrigerante mesmo que o rótulo diga “bebida com baixo valor nutricional, altos teores de açúcares e sódio…” E no caso das nossas crianças, a vulnerabilidade é ainda maior.
    Esse seu post nos dá muito que refletir. Mais uma vez parabéns!!

  12. Eu acredito que a indústria alimentícia não está nem um pouco preocupada em proporcionar um alimento confiável, mais sim ganhar dinheiro a custa da saúde dos nossos filhos. Felizmente, temos uma ferramenta valiosíssima que é o poder de escolha e é nosso dever ensinar nossos filhos a utilizá-la sempre.

    1. Isso mesmo, Regiane. Não acho que seja fácil pois, em alguns casos, nós adultos também sofremos com a sedução. Mas temos mais armas para achar o equilíbrio do que as crianças e devemos ensinar isso para elas.
      beijos
      Mônica

  13. Ótima matéria, Mô, parabéns!
    Eu não me preocupo com isso. Se fui ao Mc 6 vezes na minha vida toda foi muito. Não gosto. As batatas eu detesto. Parecem de papel. O sanduíche é sem gosto e muito gorduroso. Gosto de comida leve e saudável, pode até ter uma fritura ou outra… mas sanduíche mesmo eu não encaro. Então, para mim, não faz diferença. Eu não frequento porque não gosto mesmo.
    E minhas filhas vão no mesmo caminho. Se fazem questão dos brinquedos, acabam pedindo os nuggets com suco de laranja e cenoura. Mas sempre deixam mais da metade do prato. Vai tudo pro lixo depois. Realmente eu não compreendo o sucesso dessa empresa. Se dependesse de mim, eles iriam à falência.
    Mas, o que seria do azul, se todos preferissem o amarelo?

    1. Querida Cláudia, estava com saudade de você! Que sortuda por não gostar de fast food… Eu amo os orientais, um problema. Mas os de sanduíche também não me atraem tanto. Por isso as pequenas aqui também não foram seduzidas… ainda. Dessa última vez, Isabella, com cinco anos, experimentou um cheeseburguer do Mc e gostou. Mas já sabe que não é sempre. Ela gosta mesmo é dos brinquedos, como os seus. Mas tenho de confessar que gosto das tais batatinhas com gosto de papel (heheheh)
      beijos!

  14. Mô,
    Então quer dizer que se alguém quiser sabotar a empresa do palhaço basta ir na Cidade dos Alimentos?! hehe. Además, post excelente.
    beijos
    Patricia

    1. Isso mesmo, Pati, a Cidade dos Alimentos é o local! Duro é se achar nos quilômetros e quilômetros de galpão!
      beijos

Comments are closed.