Não culpe o fast food, vá educar seu filho – parte 2

Fast food. Na semana passada, tivemos posts bastante polêmicos sobre os pais que culpam fast foods e a indústria alimentícia pela má alimentação dos filhos. Em O McDonald´s está mais saudável ou Não culpe o fast food, vá educar seu filho e Amo muito tudo isso, surgiu um inteligente debate sobre alimentação, educação e publicidade.

A maior parte dos argumentos que ouvi falava sobre o poder das propagandas e a impotência dos pais diante delas.

Hoje descobri uma pesquisa recente mostrando que os fatos não são bem assim. O estudo foi realizado por especialistas da Texas A&M International University e será publicado na Pediatrics, revista científica da Associação Americana de Pediatria. Nele, 75 crianças entre três e cinco anos, foram divididas em dois grupos para assistir desenhos animados entre os quais foram inseridos diferentes anúncios. O primeiro grupo viu um comercial de batatas fritas e o segundo um no qual apareciam pedaços de maçã. Após ver os anúncios, a cada criança eram mostrados dois cupons: um com batatas fritas e outro com maçãs.

Entre as crianças que viram o anúncio das batatas, 71% escolheram o cupom no qual aparecia essa comida. Essa porcentagem caiu para 55% quando as crianças foram motivadas por seus pais a escolherem a opção mais saudável, as maçãs.

Já entre as crianças que viram o anúncio das maçãs, apenas 46% escolheu as batatas fritas e essa porcentagem caiu para 33% quando foram encorajados por seus pais a escolher o alimento mais saudável.
Tudo bem, gente, não é uma universidade tão reconhecida e o estudo foi feito com poucas crianças. Mas nossa conclusão pode ser a mesma dos pesquisadores: as crianças são influenciadas pelas propagandas, mas os pais não são impotentes!!! O que você fala ao seu filho também conta!

Por isso, continuo com a mesma opinião: independemente do que aconteça com a publicidade infantil no país, aposte mais em você mesmo na hora de educar a alimentação do seu filho!

beijos

Mônica

3 Comments

  1. Acredito que quando os pais querem, a decisão deles é mais firme e importante que qualquer propaganda, mas também sei que muitos pais não têm essa força, até porque eles mesmos não conseguem sustentar essa posição. Não é fácil, por isso acho sim que a propaganda se aproveita disso, em exagero!!
    Beijos,
    Aretusa

  2. Mas veja que, mesmo com a influência positiva dos pais, mais da meta das crianças que foi exposta ao anúncio de batata frita escolheu essa opção. Uma quantidade maior do que aquela que viu o anúncio das maçãs, mesmo sem o apoio dos pais. Me parece que esse resultado apontou uma influência maior da publicidade que dos pais sobre a opção das crianças. É trágico, né?

    1. É trágico sim, Lia, mas já esperado. Porque a publicidade realmente tem um poder enorme. O que gostei de ver é que algumas crianças mudaram de ideia quando tiveram a orientação dos pais. Não o tanto que a gente gostaria, mas um pouco. Por isso que eu acredito em dois caminhos: o de cuidar da publicidade infantil, colocando limites, e o dos pais ficarem firmes em suas posições de oferecem opções saudáveis para as crianças, negociando os nãos. Quer dizer, a gente não pode se entregar tanto assim, temos de acreditar na influência que nós somos para os pequenos, né?
      beijos
      Mônica

Comments are closed.