Crianças devem sempre engordar?

crianças devem sempre engordar

Crianças devem sempre engordar? A sensação que temos é que nossos filhos devem sempre engordar. E estamos certos. As pessoas se desenvolvem fisicamente, ganhando peso e altura nos primeiros vinte anos de vida – para ser mais exato, as mulheres até os 18 anos e os homens até os 21 (sim, essa história de engordar depois disso é culpa da nossa gula, não tem mais nada a ver com desenvolvimento).

Nosso problema na mesa está na aceleração do ganho. Em seu primeiro ano o bebê triplica o peso de nascimento, mas até o segundo aniversário vai ganhar apenas um terço disso. Vamos desenhar para ficar mais claro. Imagine um bebê que nasceu com 3 quilos. Quando soprar a velinha do seu primeiro bolo, provavelmente estará com cerca de nove quilos. Isto é, seis quilos a mais em doze meses. Mas em seu segundo aniversário, o esperado é que pese 12 quilos. O que soma apenas três quilos a mais no mesmo período. E dessa época até chegar a puberdade, vai ganhar cerca de dois quilos por ano.
Os pais se animam quando o bebê começa a comer papinhas. Eles precisam triplicar o tal peso de nascimento e têm um apetite voraz. Quando completam um ano, se desinteressam por comida e nem precisam dela na mesma quantidade que antes. Nós, incrédulos adultos, achamos o contrário. Afinal agora essas criaturinhas andam, escalam, pulam e falam o dia inteiro! Precisam de comida! Nada mais errado. Apesar de toda a evolução psico-motora que eles apresentam, o ritmo de crescimento diminui – e o apetite também.
Para nós, só resta diminuir a ansiedade…

Meu palpite é o seguinte (e falo sobre o que eu sinto): nada nos faz sentir mais felizes, mais cumpridores dos deveres como pais, do que alimentar a cria. Essa é a verdade. Trabalhamos, colocamos comida na mesa, a criança come e vamos dormir tranquilos com nossa consciência.
Será que não devemos deixar as refeições em paz e descobrir outras formas de nos sentir bons pais?
beijos
Mônica

 

12 Comments

  1. Olá, eu tenho um filho de um ano… todos que passam e olha pra ele sempre faz o comentário “nossa como ele é piquinininho! ” e eu me sinto muito frustrada, tenho a impressão que não do o suficiente pra ele comer ou que não cuido direito, mas o Victor (meu filho ) tem uma dificuldade enorme pra tomar leite a não ser o meu do peito mesmo, não sei se isso tem algo a ver com o crescimento dele…
    Mas realmente é muito ruim as pessoas ficarem comparando nossos filhos com os filhos delas ou dos outros!

  2. Gostei muito dessa explicação, muito bem detalhada. Meu filho tem 1 ano e 9 meses e continua comendo com a mesma gulodice de quando tinha 6 meses o bichinho é bom de boca pode tá doente que mesmo assim ele não perde o apetite e come de tudo.

  3. Oi Eudenice,

    Concordo plenamente com a Monica, pois vivo na pele essa competição besta como que se a mais alta ou a mais gorda fosse a mais inteligente, a mais bonita.
    A minha filha é mais baixa e mais magra, porém mais bonita e inteligente, e como sempre chama a atenção por onde passa e as outras mães tentam ofuscar o brilho dela, mais Deus a proteje.
    O que eu te indico é um encaminhamento ao endocrinologista, e peça o exame tsh ,t4 livre, t4 total, ai vc vai poder espantar todos os fantasmas da sua cabeça, e caso seja necessario tera o tratamento adequado, sua filha deve ser linda para não passar despercebida.

    bjs

  4. Oi, tenho uma filha de 4 anos que nasceu prematura com 1,720 kg. Desde então, faço acompanhamento médico com uma pediatra e com uma nutricionista. Hoje ela pesa 13 kg e mede 95,5 cm, sei que ela está fora da média peso x estatura mas confesso que não é fácil fazer uma criança engordar, e olha que eu tenho um esforço danado, pois ela sempre não quer comer. Gostaria de saber se a minha filha vai ficar anã, pois muitas pessoas chegam pra mim e falam ” nossa como ela é pequenininha pra 4 anos.” isso me irrita demais. Obrigada!!!

    1. Oi Eudenice, tudo bem? Primeiro, que minha resposta é apenas a minha opinião. Você deve sempre conversar com o seu pediatra e sua nutricionista. Dito isso, fui olhar na tabela de Crescimento de Meninas e vi que uma garota de 4 anos medindo 95,5 cm não está fora da média não! Ela está apenas na linha mínima da tabela. Geralmente isso significa que a situação é aceitável. Sei o que é ficar neurótica com peso e altura dos filhos pois minhas duas meninas nasceram prematuras. Isabella nasceu com 2,300 kg e Úrsula com 1,300kg! Lembro que até o ano passado, exatamente quando a Isabella tinha 4 anos, eu era meio encanada achando ela a menor da classe. De repente ela cresceu. Hoje não é a menor, mas com certeza é a mais magra. Vai ver sua filha ainda não chegou na época do estirão. Acho que se sua filha está saudável, se o pediatra diz que está tudo bem, você deve relaxar e deixá-la comer o quanto quiser. Uma coisa que aprendi com a Isabella é que existem estômagos de passarinhos: crianças que comem pouquinho, mas com intervalos menores. Aliás, isso será um post em breve. Acalme-se. E peloamordedeus, nem leve em conta pessoas que dizem para você que sua filha é pequena para a idade. Nem sei quem é, mas pense bem: a troco de quê alguém diz isso na cara de uma mãe? Competição? Inveja? Falta do que fazer na vida?
      beijos e boa sorte!
      Mônica

    2. Oi, Eudenice.
      É mesmo muito irritante o quanto as pessoas se incomodam com quem foge do padrão. Isso acontece com as magrinhas, as gordinhas, as altas, as baixas, as de cabelo crespo, aquelas que demoram a ter dentes, com quem tem dentes precocemente. Dá vontade de dar uma respostada daquelas.
      Enfim, tente não se irritar mais. Vc cuida da sua filha com a atenção. Ela parece ser uma criança muito bem acompanhada e justamente por ser muito bem acompanhada os especialistas já teriam notado qualquer deficiência ou presença de nanismo. Se vc se sente muito, muito insegura que tal conversar com a pediatra e pedir a indicação de uma endocrinologista para ir conversar e tirar dúvidas? Mas, se as curvas de crescimento da sua filha estão sempre para o alto e avante, mesmo que abaixo do tracejado determinado pelo Ministério da Saúde, se ela nunca fica doente, se está acompanhando as outras crianças na escola, se brinca, fala bem, ou seja, é ativa, acho que vc tem pouco com o que se preocupar. Converse bastante com a pediatra e a nutricionista para acalmar o seu coração e ter segurança. E os outros, que vão às favas!
      beijos,
      Patricia

  5. Boa noite,
    estou com um problema muito sério com minha filha ela tem 2anos e 8 meses, e nasceu com 750grs…estou tento dificuldade para faze-la se alimentar bem ainda mais agora que voltei a trabalhar e ela está sentido a diferença de ter a mãe todo o dia e me ver apenas no período da tarde. Ela faz acompanhamento com nutricionista mas tá difícil…rsrsrs por favor me ajudem me indicando cardápios com calorias e nutrientes de alto teor calorico…..desde já agradeço de coração….

    1. Merlin, primeiro calma… Também tenho uma filha que nasceu prematura, com 1,300 kg e também fico encanada quando ela não come. Mas você tem de lembrar que sua filha, aos 2 anos e 8 meses, está no auge do “não querer comer”. Nessa idade a criança está descobrindo o mundo e não quer ficar parada na mesa se alimentando. Quer brincar, correr, gritar…. Se ela notou que essa história de não comer mexe com você, vai usar exatamente isso para mostrar a frustração de você ter voltado a trabalhar e não estar mais tão perto dela. Crianças são muito espertas. Com o tempo ela vai aprender que tudo bem você trabalhar, que é legal ter uma mãe feliz fazendo o que gosta e aprenderá a lidar com a frustração de não tê-la por perto o tempo todo. Isso a fará crescer! Mas o processo que você está vivendo, levando em conta as minhas experiências e as entrevistas que já fiz, me parece bem normal. E se ela tem uma acompanhamento com a nutricionista, melhor ainda. Confie nisso.
      Nem eu nem Patricia somos nutricionistas. Somos jornalistas, isto é, ouvimos as pessoas e contamos para os outros. Mas aqui no blog também falamos de nossa experiência e é com isso que posso tentar ajudar. Acho importante você oferecer alimentos que sabe que ela gosta. Não estou falando de enchê-la de bolacha e chocolate. Entre os saudáveis, o que ela gostava antes? Tente bolar novas maneiras de fazê-lo. Por exemplo, um purê de batata com carne, ou batatas assadas com manteiga. Falo isso porque batatas são campeãs de audiência entre a garotada. Aposte também no macarrão, que é calórico. Invente molhos, use queijos.
      Clique em Receitas lá em cima no Blog para encontrar algumas receitas que já compartilhamos aqui no blog. Dê uma olhada também nos Cardápios semanais.
      Tome cuidado apenas com uma coisa: no desespero, muitas vezes a gente quer dar qualquer coisa bem calórica, como doces, que até engordam, mas não nutre. Mais importante do que sua filha ganhar peso e ela ganhar nutrição. Espero ter ajudado um pouco. Qualquer coisa, volte a falar com a gente.

      beijos e boa sorte!
      Mônica

Comments are closed.