Como fazer criança comer bem

Como fazer criança comer bem? A nutricionista Gabriele Berton Cunha Bueno, da Escola Estilo de Aprender (SP), cria e administra o lanche de seus 200 alunos. Mas é na hora do disputado almoço (do qual até eu queria fazer parte) que realiza a mágica invejada por todos os pais: com a ajuda de mais sete adultos, consegue alimentar (e bem!) 70 crianças com idades entre um e nove anos. Aqui ela conta como faz isso – e dá varias dicas que podemos imitar em casa.
Um beijo da Mô

como fazer criança comer bem
Como montar um cardápio que agrada crianças em fases tão diferentes?

Em primeiro lugar garanto sempre alimentos variados, um prato colorido, aromático, com consistência equilibrada. É importante que, desde cedo, seja apresentada às crianças uma alimentação saudável. Mesmo que algumas não aceitem algo, colocamos no prato para que sempre tenham a oportunidade de experimentar quando quiserem. E saberem que, se estamos oferecendo para elas, é porque faz bem para a saúde. Nunca escondemos algum alimento “debaixo” de outros, pois acredito que a melhor forma de educar é estabelecer uma relação de confiança.
Incentivamos que façam do almoço um momento agradável, de conversas (não em excesso!) e comidas. Sentar-se direito também é importante para que fiquem mais concentradas e focadas no ato de comer.
Procuro ficar atenta quando as crianças gostam muito de determinadas preparações para que eu coloque no cardápio com mais freqüência. Muitas delas (as mais velhas), inclusive, pedem-me para enviar um e-mail aos seus familiares com a receita da preparação! Outras me lembram de colocar os alimentos preferidos no cardápio do próximo mês!
Sempre que apresentamos o prato com a comida, nomeamos todos os alimentos para que se familiarizem com os diversos tipos.
Muitas vezes, as crianças dizem que não gostam de determinado alimento (principalmente verduras e legumes), mas, se oferecermos os mesmos alimentos em formas de preparo variadas, elas acabam aceitando. Por exemplo, alterno a berinjela refogada com berinjela grelhada, ou quibe de berinjela, ou lasanha de berinjela.
Mas o segredo de tudo mesmo é persistir. Não é de um dia para o outro que a criança vai passar a comer de tudo, temos de fazer este trabalho dia a dia. Persistência e paciência!

Qual a idade para a criança comer sozinha e como você estimula isso?

Aqui na escola, incentivamos todas as crianças a comerem sozinhas. Claro que as mais novas precisam de mais ajuda, por isso, fazemos as colheradas e levamos à boca, mas também as deixamos à vontade para comerem sozinhas. Até os três anos de idade, elas comem com colher e oferecemos o prato já pronto. A partir dos quatro, passam a comer com garfo e faca e elas próprias se servem, sempre comigo ao lado para incentivar que experimentem todos os alimentos. Durante a refeição, vamos lembrando-as para prepararem as garfadas e comerem sozinhas. Comer perto dos amigos ajuda pois um vê o outro comendo sozinho e acaba comendo por iniciativa própria.

Crianças comem melhor longe dos pais?

Pela experiência que tenho, percebo que é mais fácil, sim. Talvez porque, na escola, as crianças tenham uma rotina e sabem que estão aqui para comer e respeitar as regras (se é hora de comer, é hora de comer). Além disso, como já falei, com outras crianças há um incentivo maior.

Como lida com a bagunça?
As crianças mais novas acabam derrubando mais comida na mesa e no chão. É normal e é sinal de que estão aprendendo! Já as maiores, lembramos sempre de usarem a faca para “acomodar” a comida no garfo para não deixarem a comida cair do prato. Reforçamos também que menos sujeira nas mesas e no chão significa menos trabalho para as pessoas encarregadas pela limpeza do local.

O que faz quando a criança não quer comer?

Nunca forçamos as crianças a comerem, mas procuro sempre incentivá-las a provarem. Normalmente, peço para experimentarem um pouquinho e, se não gostarem, não precisam comer. Muitas vezes, dá certo, sentem-se seguras porque sabem que será assim mesmo. Dou algumas “dicas” também para elas, por exemplo, colocarem um pedacinho do alimento a ser experimentado junto com o arroz e feijão, e assim vão aumentando a quantidade a cada vez.
Acho que só o fato das crianças estarem abertas a experimentar coisas diferentes já é um passo para terem uma alimentação saudável mais para frente.

Foto da Gabriele em ação: Cris Busico de Paula

5 Comments

    1. Você tem razão Victor. É que a expressão “sentar na mesa” já ficou tão comum que a gente nem percebeu isso!
      beijos
      Mônica

  1. Adorei as dicas.
    Desde crianças eu e meu irmão aprendemos a comer de tudo. Acho que, intuitivamente, meus pais tiveram muitas dessas atitudes, e deu super certo.
    Bjos

Comments are closed.